04 janeiro 2011

Saindo da escuridão

O que vos digo às escuras, dizei-o a plena luz; e o que se vos diz ao ouvido, proclamai-o dos eirados. Mateus 10.27

......................



Quando meu marido, aos 25 anos, morreu de uma doença do sangue, fiquei sozinha, com meus dois filhos pequenos. Ele estava firmemente convencido de que Deus o curaria. Por isso, quando o hospital me disse que ele tinha morrido, eu sucumbi. Minha vida pareceu se apagar na mais total escuridão. Mas "o Deus de toda a consolação, que nos conforta em todas as nossas tribulações?, me enviou muitos amigos e amigas que vivenciaram o mesmo tipo de infelicidade que eu estava sentindo. Eles me disseram as palavras certas e fizeram as coisas certas. Às vezes, eles apenas se sentavam comigo em silêncio. Esses amigos e amigas, enviados por Deus, tornaram minha vida suportável. Aprendi que Deus usa as pessoas que vivenciaram a dor e a aflição para consolar as outras, cujo desespero é tão avassalador que lhes rouba a paz e a alegria. Quando estamos sofrendo, Deus vai ao nosso encontro no nível mais profundo de nosso sofrimento e nos consola como só Ele é capaz de fazer. E com frequência usa outras pessoas para esse ato de consolação.

Ingrid A. Rönnberg (Skåne, Suécia)
Editora Cedro