21 abril 2010

Uma Vida Cheia do Espírito

O andar cheio do Espírito requer, por exemplo, que vivamos de acordo com a Palavra de Deus como um peixe que vive no mar. Com isso não quero dizer que devemos simplesmente estudar a Bíblia, nem que façamos um "curso" sobre a doutrina bíblica. Quero dizer que devemos "meditar de dia e de noite" na Santa Palavra, que devemos amá-la, nos deleitar com ela e digeri-la o tempo todo. Quando as atividades da vida exigem nossa atenção, podemos, todavia, com um tipo de reflexão abençoada, manter sempre a Palavra da Verdade na nossa mente.

Portanto, se agradamos o Espírito que habita em nós, todos devemos ter um bom relacionamento com Cristo. A obra presente do Espírito é honrar a Cristo, e tudo que Ele faz tem esta tarefa como seu principal propósito. Devemos fazer com que nossos pensamentos sejam um santuário limpo para Sua santa habitação. Ele habita em nossos pensamentos, e pensamentos desonrosos Lhe são tão repulsivos quanto uma veste suja para um rei. Sobretudo, devemos ter a disposição de fé que continuará firme por mais radical que possa ser a instabilidade de nossos estados emocionais.

A vida em que o Espírito habita não é uma edição de luxo do cristianismo que deve ser desfrutada por determinados cristãos extraordinários e privilegiados que, por acaso, são melhores e mais sensíveis do que o restante. Ao contrário, é o estado normal para todo homem e mulher remido em todo o mundo. E "o mistério que estivera oculto dos séculos e das gerações; agora, todavia, se manifestou aos seus santos; aos quais Deus quis dar a conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória" (Cl 1.26-27). Faber, em um de seus belos e reverentes hinos, dedicou estas maravilhosas palavras ao Espírito Santo:
Oceano, imenso Oceano que flui, Tu és Do Amor que não teve princípio; Estremeço em minha alma Sinto o mover de Tuas águas.Tu és um mar sem praia; Tremendo e infinito Tu és; Um mar que pode se limitarDentro do meu pequeno coração.