26 abril 2011

Pastor e filha são assassinados por militantes

"Como está escrito: 'Por amor de ti enfrentamos a morte todos os dias; somos considerados como ovelhas destinadas ao matadouro'. Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou."
Romanos 8.36-37

Esses dois versículos da Bíblia são muito significativos. Eles nos deixam claro que, por amor ao nome do Senhor Jesus, enfrentamos a morte todos os dias. Para os cristãos perseguidos, essa frase tem um sentido literal. Para outros, significa a morte do "eu", de sua própria vontade. Seja o que for, temos o consolo: em todas as coisas somos mais do que vencedores, através do amor de Cristo. Muitos cristãos perseguidos têm que lidar com a morte de seus entes queridos. Mas, através da nossa oração, podemos fazer com que eles se sintam mais do que vencedores, mesmo em meio às lutas, por causa daquele que os ama.



No sábado, dia 12 de fevereiro, dois homens armados foram até a casa de um pastor e, alguns minutos depois, atiraram nele, em sua filha de 9 anos e em uma mulher da igreja. Os militantes reagiram contra o pastor devido a sua oposição em dar dinheiro para apoiar o grupo revolucionário.

Por volta das 10h, os homens armados chamaram por Maximo Suarez Romero, pastor de uma pequena comunidade cristã em “Divino Niño”, a 90km de Riohacha, capital da região de La Guajira. Os membros da igreja estavam reunidos na residência do pastor para seu tempo habitual de jejum na manhã de sábado. O pastor foi atender à porta e encontrou os dois indivíduos. Minutos depois, os cristãos que estavam dentro da casa ouviram uma pequena discussão. Os cristãos não puderam ajudar porque, quando foram ver o que estava acontecendo, os assassinos balearam o pastor Suárez, sua filha Nubia Melisa Suarez Sanchez e Maylen Cecilia Guevara, jovem de 27 anos, que fazia parte da igreja.

Os homens armados estavam envolvidos na arrecadação de fundos para o apoio a um grupo revolucionário, como parte de um programa de financiamento. No entanto, quando os homens chegaram, o pastor havia acabado de ensinar sobre o Salmo 15, versículo 5, que fala sobre não aceitar subornos e propinas: “...nem aceita suborno contra o inocente. Quem assim procede nunca será abalado!”. O pastor Suárez se recusou a apoiar o grupo revolucionário, e foi baleado.

Guevara, um membro da igreja local, morreu imediatamente e outra criança também ficou ferida e precisou ser atendida pelos médicos. Nubia Suarez Melisa Sánchez, a filha do pastor, faleceu às 0h.

Maximo Suarez Romero recebeu dois tiros, um no tórax e outro no braço direito. Ele foi levado para o Centro Médico de Mingueo e depois para o hospital “Nuestra Señora de los Remedios”, onde faleceu. Ele tinha 37 anos de idade. O pastor deixa uma esposa, Aida Sanchez, de 32 anos, e três crianças abaixo dos 18 anos.

O pastor era o único responsável pelo sustento da casa. Ele também cuidava de seu pai e sua esposa.

Os criminosos conseguiram fugir.


fonte: www.portasabertas.org.br