06 janeiro 2011

Carta aberta a minha família

Sou um usuário de drogas. Preciso de ajuda.

Não resolvam meus problemas por mim. Isto somente me faz perder o respeito por vocês.

Não censurem, não façam sermões, não repreendam, não culpem ou discutam, esteja eu drogado ou sóbrio. Isto pode fazer vocês se sentirem melhor, mas só vai piorar a situação.


Não aceitem minhas promessas. A natureza da minha doença me impede de cumpri-las, mesmo que naquele momento tencione fazê-las. As promessas são meu único meio de adiar a dor. E não permitam mudanças de acordos. Se um acordo foi feito, mantenham-se firme nele.

Não percam a paciência comigo. Isto destruirá vocês e qualquer possibilidade de me ajudarem.

Não permitam que sua ansiedade por mim faça vocês fazerem o que eu deveria fazer por mim mesmo.

Não encubram ou tentem poupar-me das consequências do meu uso de drogas. Isto pode diminuir a crise, mas fará a minha doença piorar.

Sobretudo, não fujam da realidade como eu faço. A dependência de drogas, minha doença, torna-se pior enquanto eu persistir no uso.

Comecem agora a aprender, a compreender e a fazer planos para a sua recuperação. Procurem o Nar-Anon, grupos que existem para ajudar as famílias daqueles que abusam das drogas.

Preciso da ajuda - de um médico, de um psicólogo, de um conselheiro, e de um adicto em recuperação que encontrou a sobriedade em Narcóticos Anónimos, e principalmente de Deus. Eu não posso ajudar a mim mesmo.

Seu usuário.



Grupos Familiares NAR-ANON do Brasil
http://www.naranon.org.br