23 maio 2010

O futuro da Igreja na China depende de nós

Em vez de invadir um país com bombas, exércitos, e deixar um rastro de destruição, queremos invadir o país mais populoso do mundo com lições de amor, resistência e perseverança, à luz da Palavra de Deus.

A cada ano, o país mais populoso do planeta ganha apenas 35 mil novos cristãos, por falta de pessoas capacitadas a pregar o verdadeiro evangelho de Cristo.

Há fome e sede da Palavra de Deus. Faltam Bíblias, porque o acesso é controlado, e os cristãos chineses também carecem de materiais para estudos. Faltam apostilas de escola dominical, livros, hinários...



E isso sem contar a falta de líderes com uma sólida formação nas Sagradas Escrituras.

Na zona rural, é comum que pessoas com menos de um ano de conversão assumam a liderança de uma igreja inteira.

É preciso treinar quem já está lá. É preciso fortalecer a Igreja local. O futuro da Igreja na China depende de nós.

Em 2008, a Portas Abertas estima treinar 9500 cristãos chineses em 14 cursos diferentes. Para esses projetos será empregado US$ 1,5 milhão. Faça parte desta invasão de amor e deixe um rastro de esperança. Contribua com os projetos de treinamento da Portas Abertas para a China.

PS: Por questões de segurança temos que omitir nomes, lugares e projetos. Só podemos mencioná-los de forma genérica.

ajude: clique aqui